A importância da educação financeira para crianças

As crianças se espelham nos comportamentos dos pais e cuidadores e tendem a reproduzir, na idade adulta, atitudes que aprendem desde muito cedo. Além disso, muitos dos aprendizados adquiridos na infância, quando temos mais facilidade para absorver conhecimento, são levados para a vida e tendem a moldar nossas decisões no futuro. 

Quando o assunto é dinheiro, não é diferente. Quanto mais cedo a criança aprende noções básicas de conceitos relacionados às finanças, como saber esperar o bolo crescer, cuidar bem do que possui, guardar um pouco de dinheiro agora para ter algo melhor depois, por exemplo, maiores serão as chances de que tome boas decisões financeiras quando precisarem gerir o próprio dinheiro. 

Por isso, levar educação financeira para as crianças é tão importante. Isso começa dentro de casa e pode ser divertido! Veja algumas dicas de como fazer isso. 

 

Aprender educação financeira brincando

As crianças aprendem mais brincando do que ouvindo lições verbais que, às vezes, não fazem muito sentido para elas porque ainda não desenvolveram habilidades que as ajudem na compreensão. Por isso, a melhor maneira de mostrar o funcionamento do dinheiro e como tomar decisões em relação a ele é por meio de jogos e atividades lúdicas, entremeadas de boas conversas. 

Há uma série de jogos de tabuleiro, como Banco Imobiliário, Pequenos Milionários, Jogo da Vida,  Dia da Mesada da Turma da Mônica, entre outros – que trazem isso de maneira mais clara. Eles ajudam a compreender, por exemplo, como funciona o sistema de trocas, o valor do dinheiro, perdas e ganhos conforme a decisão tomada. E, também, a importância de ser persistente, controlar impulsos e recuar para não correr riscos, entre outras atitudes que são importantes ingredientes da vida financeira de qualquer pessoa. 

Para as crianças maiores, os jogos eletrônicos também podem ajudar bastante, já que eles possuem uma dinâmica de recompensas que estimula a ideia de poupar e investir para ter mais retorno.  

Além dos jogos, há outros brinquedos e brincadeiras manuais que podem fazer com que os pequenos aprendam ainda mais sobre a importância de poupar recursos e gastá-los de maneira consciente, o que é fundamental para a sustentabilidade financeira e do planeta.  

Muitas delas podem ser criadas dentro de casa, usando tampinhas de garrafas, caixas de papelão e outros materiais recicláveis. Feitas junto com a criança, esses  e que trazem aprendizados importantes. Conheça alguns sites e tutoriais que podem ajudar você nisso: 

# Tempo Junto –5 brincadeiras para ensinar as crianças a usarem o dinheiro 

# Turma da Mônica Educação Financeira, série criada pelo Sicredi em parceria com Maurício de Souza –Playlist Educação Financeira – Turma da Mônica 

# EconoMirna –5 passos para ensinar educação financeira às crianças  

# Finanças com crianças –Jogo Valor das Moedas 

 

Como usar a mesada para educar

A mesada é o primeiro contato de muitas crianças com a gestão do próprio dinheiro. Ao receber uma pequena quantia periodicamente, os pequenos passam a ter noção da função do dinheiro, e aprendem a se organizar para ter o que deseja. Vou economizar na cantina para comprar figurinhas; vou guardar uma parte da mesada para fazer algo que quero. Essas são decisões que ensinam a importância do planejamento. 

Mas, afinal, qual deve ser o valor e a periodicidade da mesada? Quem define isso é a própria família, mas é importante fazer da mesada uma maneira de ensinar o valor do dinheiro. Se você der R$ 60,00 por mês e a criança gastar tudo na primeira semana, ela precisa entender que terá de esperar até o mês seguinte para receber a próxima mesada. 

Com crianças pequenas, funciona melhor a semanada. Considere, como parâmetro de valor, a compra de um lanche diferente em um determinado dia ou de uma revista em quadrinhos ou figurinhas ao longo da semana. Acima de 10-11 anos, já pode-se pensar em um valor quinzenal ou mensal. E, acima dessa idade, já é possível incluir o valor de uma entrada de cinema, por exemplo. 

Igualmente importante é ensinar a usar o dinheiro com sabedoria. Se a criança quer muito um brinquedo fora de datas especiais, como Natal ou aniversário, ela deve ser incentivada a guardar um pedaço da mesada para comprar o brinquedo. E, se ela gastar todo o dinheiro, não vale dar o brinquedo! Esse é um jeito de ensinar que as conquistas são feitas aos poucos, de maneira organizada e com certo esforço. 

Ela conseguiu poupar o suficiente? Hora de celebrar. Leve-a para fazer a compra e estimule-a a cuidar bem do brinquedo para que ele dure mais. Preservar o que conquistamos é uma das maneiras mais eficientes de formar um patrimônio ao longo da vida.

Inclua seu filho em algumas decisões financeiras

Ao fazer isso, você mostra à criança a importância de fazer escolhas. Um exemplo de como isso pode ser feito: faça a lista de compras da semana junto com a criança, conferindo o que falta na geladeira ou despensa; deixe-a incluir uma ou duas guloseimas. Leve-a ao supermercado, deixando a lista sob sua responsabilidade.  

Caso ela peça para incluir algo que não está na lista, combinem que será preciso escolher algo para tirar do carrinho. Esse é um momento em que a criança pode desenvolver seu pensamento crítico, avaliando o que é necessário e o que pode ser deixado para a próxima vez. 

Outra maneira de fazer isso é planejar juntos a viagem de férias. Veja o quanto o programa irá custar e combine que cada pessoa da família irá guardar uma parte do que ganha (inclusive da mesada) para realizar o sonho. Esse é um bom momento para inserir o cofrinho na vida das crianças. 

 

Mostre que o dinheiro é um recurso finito

Explicar como você ganha dinheiro pode ajudar as crianças a compreenderem a existência de limites. Você não precisa necessariamente contar o quanto ganha, mas a quantidade de tempo que precisa trabalhar, por exemplo, para conseguir pagar as despesas da casa ou comprar determinada coisa. Assim, ela aprenderá duas lições: que o dinheiro tem um custo (nosso esforço) e que ele não é ilimitado, por isso, precisa ser muito bem usado. 

Gostou desta matéria? Aproveite para compartilhá-la com outras pessoas, para que elas também possam ensinar suas crianças a ter uma boa relação com o dinheiro! Clique aqui e consulte seu CPF gratuitamente, confira se possui algum débito em aberto com a Recovery. 

Você também pode gostar
Como sair das dívidas: tire todas as suas dúvidas
Dívida prescreve? Estar inadimplente e ter restrição de crédito ... Leia mais ➜
cartão de crédito
Conseguir um cartão de crédito para negativado é possível ... Leia mais ➜