5 PRINCIPAIS MOTIVOS DO ENDIVIDAMENTO

5 PRINCIPAIS MOTIVOS DO ENDIVIDAMENTO

O endividamento é uma realidade das famílias brasileiras. Segundo o levantamento feito em 2020 pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) a média anual de famílias brasileiras endividadas ficou em 66,5%. Esse índice é o maior desde 2010 quando o estudo começou a ser realizado. A pandemia agravou essa situação, mas a alta do desemprego e diversas outras atitudes podem resultar nessa porcentagem elevada.

Diversos são os motivos que levam as pessoas a se endividarem. Continue a leitura do Blog Recovery e confira os 5 principais motivos de endividamento, saiba quais são os motivos mais recorrentes e identifique se algum se encaixa em sua situação financeira.

FALTA DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Hoje muito se fala em educação financeira, essa prática pode ajudar a quitar as dívidas e a ter uma vida mais tranquila sem grandes preocupações com o dinheiro. Com a educação financeira você aprende a gerir o seu dinheiro, a quitar todas as dívidas, planejar compras e a criar uma reserva financeira.

A educação financeira deve ser feita durante um tempo até que se torne um hábito e uma coisa natural. Diversos são os livros, cursos e canais no YouTube que ensinam como poupar e ter um orçamento mais organizado. Ao começar a se educar financeiramente é importante levar em consideração a sua realidade, o que deve, quanto pode guardar e todos esses aspectos. Não há uma fórmula mágica, é preciso adaptar as medidas para o que você consegue fazer.

Uma das dicas básicas de educação financeira é se organizar e planejar. Organização e planejamento podem transformar a sua vida financeira. Anote todos os gastos, todas as despesas e contas que precisam ser pagas, entenda em que você está gastando dinheiro a mais e se planeje para fazer possíveis compras. Com essas medidas a sua relação com o dinheiro vai melhorar consideravelmente.

AUSÊNCIA DE CONTROLE DE GASTOS

Um dos pontos principais do endividamento é a desorganização é a ausência do controle de gastos, ao comprar sem controle não é possível perceber o quanto de dinheiro está sendo gasto e a quantidade de dívidas que estão sendo geradas. Para evitar isso é preciso controlar as compras por impulso e planejar qual o melhor momento para realizar compras.

O cartão de crédito muitas vezes pode contribuir para os gastos excessivos, é preciso entender como usar o cartão de crédito e não utilizá-lo como uma renda extra, mas sim como uma ajuda para compras maiores que precisam ser parceladas ou emergências. Além disso, planejar esses gastos é necessário para organização do orçamento.

5 principais motivos do endividamento

PEDIDOS DE EMPRÉSTIMO

Os empréstimos bancários também são um dos grandes motivos do endividamento da população. Por ter taxas elevadas e juros altos, o valor a ser pago no final do empréstimo é bem maior do que o valor que foi emprestado pela instituição financeira. Por isso, ao fazer um empréstimo é preciso ter planejamento e entender como o pagamento será feito de maneira que não gere inadimplência.

Ao contratar um empréstimo analise o CET, ou seja, o Custo Efetivo Total que calcula junto com o dinheiro emprestado todas as taxas, impostos e tarifas e resulta no valor total a ser pago. Outra alternativa é tentar uma renegociação para quitar a quantia.

Organização e planejamento são alternativas para sair do endividamento

DOENÇAS E ENFERMIDADES

As doenças muitas vezes pegam as pessoas de surpresa, com isso é preciso gastar altas quantias em exames e remédios. A alta anual dos planos de saúde dificulta a manutenção, e por esse motivo,  muitas pessoas acabam abandonando os acordos.

Com os médicos, exames e medicamentos a um preço elevado muitas famílias acabam se endividando para manter a saúde. Em alguns casos, exames anuais e preventivos podem ajudar na descoberta de possíveis doenças em estágios iniciais. Isso facilita no combate à doença e economiza nos possíveis tratamentos que seriam utilizados.

Além disso, o Brasil conta com o SUS, o maior sistema de saúde universal e gratuito do mundo, que disponibiliza médicos, medicamentos e exames sem custo algum. Esse direito de todo cidadão brasileiro pode ser um alívio e ajudar em momentos de enfermidades.

DESEMPREGO

O desemprego vem crescendo nos últimos anos no país. As taxas que já eram altas foram impulsionadas pela pandemia causada pela COVID-19, o que gerou uma retração nas vagas de emprego. Ainda em contexto de pandemia, muitas pessoas perderam os empregos e se viram sem renda e com poucas oportunidades disponíveis no mercado de trabalho.

Esses fatores impulsionaram a inadimplência, por conta da falta de renda. Nesse contexto, o orçamento fica mais apertado e é preciso economizar em vários setores para conseguir se manter. Como alternativa, muitas famílias começaram a vender algo para fazer uma renda extra, nesse cenário é preciso se organizar e se planejar com as novas condições.

COMO QUITAR DÍVIDAS?

Para quitar dívidas, antes de tudo é preciso economizar. Anote todas as despesas e verifique quais são os gastos excessivos, corte esses gastos e comece a guardar dinheiro. Tenha anotado todas as dívidas que precisam ser pagas, anote o valor, os juros, os prazos e organize entre maiores e menores dívidas.

Comece com as contas que têm os maiores juros, porque quanto mais tempo elas demoram para serem pagas, maior será o valor. Antes de efetuar o pagamento busque por renegociações, encontre as melhores condições para quitar dívidas. Pesquise e encontre ofertas especiais para realizar o pagamento.

Com economia, educação financeira, planejamento, organização, renegociação e mudanças de hábitos você consegue quitar as suas dívidas e sair da inadimplência. Comece com essas atitudes o quanto antes e tenha as contas todas pagas.

Você também pode gostar